quinta-feira, 5 de maio de 2011

Cartilha da desinformacão

Achei este texto em : http://atitudeco.com.br/2011/02/01/cartilha-sobre-novo-codigo-florestal-brasileiro-e-um-alerta/ e não pude deixar de comenta-lo. Comentários em vermelho.


Cartilha sobre novo Código Florestal brasileiro é um alerta

4 CommentsPosted by Tulio Kengi Malaspina on Febrque uary 1, 2011

Em meados de Junho, Julho de 2010 tivemos o início de uma luta insensata e desleal sobre o Código Florestal. Insensata pois não foi levado em conta a opinião de pesquisadores, historiadores, economistas e outros especialistas capacitados para dar um parecer sobre o tema (conordo plenamente com a afirmação, contudo eles querem que se ouça somente os “cientistas”, historiadores e economistas “conscientizados”. Conscientizados de que a ciência, a história e a economia devem servir aos seus propósitos, a sua ideologia ) , e desleal pois demonstrou parcialidade e supressão da opinião pública(desleal é tomar a total parcialidade com que a maioria dos meios de comunicação tratam o tema, como verdade científica – pra não dizer divina. Desleal é achar que a opinião manipulada e assustada de parte dos urbanos, mal informados das reais conseqüências desta lei pela imprensa e pelo distanciamento da realidade de quem vai ser afetado diretamente, representam a totalidade da “opinião pública”.) , tomando a mobilização dos ruralistas como uma premissa suficientemente importante para tal decisão (os ruralistas estão defendendo , em primeiro lugar – por que serão os primeiros , mas não os únicos a serem afetados – a si próprios, pois a aplicação da atual lei lhes tira patrimônio e renda. Além disso lhes imputa um custo adicional para que façam um suposto serviço ao mundo, sem que o este mundo lhe de nada em troca. E isso tudo em áreas que há décadas (as mais novinhas) ou séculos, vem sendo utilizadas. Ou seja, para tudo neste país há que se respeitar os direitos adquirido, menos para os ditos ruralistas. Em segundo lugar estão defendendo todo o povo brasileiro de uma vertiginosa subida do preço dos alimentos. Isso, na melhor das hipóteses, pois com a drástica redução de áreas que o código impõe, não se pode descartar a falta física destes ! . Uma borralheira só.

Tive o desprazer de assistir ao debate na Tv Câmara e deixei minhas considerações no post “O novo Código Florestal“. Confesso que no momento em questão fiquei com uma dúvida estúpida, já que Moreira Mendes (PPS-RO) levantou o argumento de que o Brasil já possui muitas terras “improdutivas” . Por “improdutivas” entende-se áreas de preservação.(sim , pois somos o país mais preservado do mundo e ainda nos querem impor limites. Seria o medo da concorrência? Para sanar esta dúvida é só procurar na internet por “farms here, forests there”, um magnífico relatório que começa com as mais altruístas e”politicamente corretas” intenções e acaba com números bastante contundentes).

O SOS Florestas lançou uma cartilha sobre o Código Florestal, onde busca explicar as consequencias de se aplicar a mudança que os ruralistas tanto desejam e demonstra como esse argumento é totalmente desvinculado de pesquisas (isso como se o código atual se baseasse em exaustivos estudos !!?? Aliás, pergunte a quem quer que seja , qual o método de alta precisão científica foi utilizado para se determinar as atuais faixas de APPs ou o percentual de reserva legal)! , que revelam que no Brasil, há uma ociosidade de quase 20% das terras já desmatadas (Em primeiro lugar , ninguém está pedindo para desmatar mais, mas sim manter as áreas consolidadas, em segundo se alguém sabe de áreas ociosas avise ,pois ta cheio de gente por aí querendo arrendar). Além disso, um estudo da USP mostra que “a área cultivada no Brasil poderá ser praticamente dobrada se as áreas hoje ocupadas com pecuária de baixa produtividade forem realocadas para o cultivo agrícola.”. (Primeiro, se tu não gosta de comer um churrasco ou mesmo um bifezinho, o problema é teu, não precisa prejudicar quem gosta. Segundo , não dá pra entender estes “verdes”!! Eles além de defender este código surreal, eles adoram uma agropecuária ineficiente como os ditos “orgânicos” – onde se produz, a pau e corda, metade da “convencional”. No entanto, em se tratando de “ruralistas”, abominam a pecuária extensiva – diga-se de passagem , uma das atividade mais “ecologicamente corretas” - justamente por não ser intensiva . Ao mesmo tempo, qualquer videozinho alarmista por eles produzidos mostram as criações intensivas de gado galinhas ou porcos , como o mais perfeito exemplo da decadência humana, seja pela “crueldade” com os animais, seja pela poluição, seja pela tal emissão de gases estufa, etc....! Ou seja, se é intensivo e produtivo, não serve, se é extensivo e pouco produtivo, muito menos. Porque não dizem logo que são vegetarianos radicais ??

Como exposto na cartilha: “A Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e a Academia Brasileira de Ciências (ABC), (tá aí um exemplo dos “cientistas” engajados, que partem com as conclusões prontas antes mesmo de formular as hipóteses !!) defendem o código atual e afirmam que a nova proposta baseia-se na “premissa errônea de que não há mais área disponível para expansão da agricultura brasileira” e “não foi feita sob a égide de uma sólida base científica. (quem tiver um trabalho científico anterior aos códigos florestais determinando os parâmetros adotados, por favor, mostre!! Ou mesmo posterior, e que tenha real valor científico na determinação dos dito parâmetros ) Pelo contrário, a maioria da comunidade científica não foi sequer consultada e a reformulação foi pautada muito mais em interesses unilaterais de determinados setores econômicos. (engraçado que as ONGs com sede em países estrangeiros, onde não há APPs, reserva legal e etc... , não tem nenhum tipo de interesses... que as campanhas, viagens , materiais , salários e apoios à “bancada onguista” saiam de graça ;)

Outro argumento que foi por água abaixo é de que o velho Código Florestal prejudica a agricultura familiar,(pergunte a um, REALMENTE, agricultor familiar o que ele acha disso!! ) tal absurdo gerou um manifesto assinado por pelos principais movimentos sociais e sindicais, como CPT (Comissão Pastoral da Terra), CUT (Central Única dos Trabalhadores), Fetraf (Federação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura Familiar), MAB (Movimento Atingido por Barragens), MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra) e Via Campesina, afirma que “o texto do (novo) Projeto de Lei é insatisfatório” e ressalta ainda que os pequenos agricultores nunca reivindicaram a abolição da reserva legal para a agricultura familiar, “visto que produzem alimentos para todo o país sem a necessidade de destruição do entorno”. (Pra começar, CPT, CUT, FETRAF,MSB, MDT e VC, nunca foram representantes de agricultor familiar algum!! Eles são , sim ramificações de partidos e/ou ideologias políticas que tem Stalin, Mao Tse tung, Pol Pot, e etc... como ídolos e que apóiam o atual código florestal por seu aspecto de desapropriação e gerador de caos. Pois se implantada a tal lei, o desencontro das exigências com a realidade será tão grande que a anarquia será inevitável, o que favoreceria as intenções “revolucionárias” destes. Isto já vinha acontecendo no norte do país, e denunciado pelo blog “Código Florestal”, onde os produtores ou eram punidos pelo IBAMA por não cumprirem a lei ambiental, mas cumprirem o Estatuto da Terra; ou punidos pelo INCRA por não cumprirem os requisitos de ocupação e eficiência do da Terra e cumprirem o Código Florestal !!! http://www.codigoflorestal.com/2010/12/o-codigo-florestal-e-o-dilema-do.html?utm_source=feedburner&utm_medium=feed&utm_campaign=Feed%3A+blogspot%2FiJLZ+%28C%C3%B3digo+Florestal+Brasileiro%29

Para quem pensa que esse assunto é distante e só cabe a discussão aos envolvidos com meio ambiente e agricultura, o coordenador do programa de Mudanças Climáticas (aqui está o principal “boi da cara preta” a assustar os cidadão pseudo-informados. Duvida? - http://www.codigoflorestal.com/2010/03/terrorismo-ambiental.html) do WWF-Brasil, Carlos Rittl, afirma que: “A cartilha esclarece uma série de contra informações que foram divulgadas, de que o Código Florestal não se relaciona com as tragédias provocadas por enchentes e deslizamentos em áreas urbanas nas regiões Sul e Sudeste do Brasil. Na verdade, a relação é direta”. (O código diz respeito a zonas rurais, as urbanas devem seguir os planos diretores das cidades!!)

A contribuição dessa mudança para o aumento do assoreamento, erosões e enxurradas é direta. Além do aumento dos desastres naturais, também é possível afirmar que com o aumento desses fatores, as áreas de cultivo ficarão rapidamente improdutivas, o que influencia a todos nós. (é mentira !! pois o Brasil controlou grande parte dos problemas de erosão e assoreamentos com a implantação do sistema de plantio direto (entre outras técnicas). E isso graças ao produtores rurais e técnicos, sem um tostão de ONGs ou governos!! Estamos preparados para uma crise alimentar? (haverá crise alimentar, se a contrário do que querem os verdes, se implantar o código como ele é!!)

A cartilha também explica detalhadamente cada uma das mudanças que propõe o novo Código Florestal e quais suas implicações. Também fiz um post chamado “Salve o Código Florestal Brasileiro” citando os principais pontos.

Cartilha disponível no Slide Share em: Cartilha sobre o Código Florestal

Anote e pense antes de votar nos deputados abaixo, se possível responda a enquente ao final do texto.

Segue a lista dos Deputados e seus respectivos votos na mudança do Código Florestal: (Digo o mesmo!!)

Nenhum comentário:

Postar um comentário