domingo, 2 de janeiro de 2011

Proposta de Resposta

Luis Fernando Mainardi, futuro secretário de agricultura do RS

acaba de escrever um artigo no Correio do Povo tentando justificar previamente o futuro desrespeito à lei 13.532 de 2010.

Lei esta que vem sendo pleiteada há anos pelo setor produtivo para que se reduza a possibilidade usar o órgão para se fazer

a velha politicagem e utilizá-lo como cabide de empregos a cada governo que entra. Com a lei atual os arrozeiros, que

sustentam o IRGA, elegem em listas tríplices, para que o governador escolha um presidente e 3 diretores. A atual governadora

somente cumpriu os prazos legais após a entrada em vigor da dita lei. Ainda, como se sabe, durante o período eleitoral são

proibido certos atos.

Os cargos do IRGA não são e não devem ser de confiança de sim técnicos, para que, repetindo, não se faça politicagem com

uma autarquia tão importante para o estado. O setor está cansado de boas intenções propaladas nos inícios dos governos e

das promessas não cumpridas a cada final.

O futuro secretário fala em novas tecnologias e aumento de produção. Perguntamos como desenvolveriam as tais tecnologias?

Seria com a invasão do Instituto e colocação de fogo em experimentos como se fez no governo Olívio Dutra?

O Futuro secretário, para finalizar, mente descaradamente ao afirmar que quem paga o CDO de R$0,38 por saco é o consumidor!!

Quem faz o depósito, sim, é a indústria, mas ela desconta DIRETAMENTE de todos os produtores a cada saco vendido !

Portanto, sim, somos nós que absorvemos este custo, já que somos tomadores de preço, ou seja, não temos como repassá-lo!

Se quiserem fazer outras instituições de cabides de emprego, que o façam, mas não com o IRGA que NÓS sustentamos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário